Significado de vaidade

O que é vaidade:

Vaidade é sinônimo de presunção, inchaço e arrogância. Como tal, a palavra vem do latim vanĭtas, vanitātis, O que significa 'qualidade vã'?.

Nesse sentido, o vaidade Pode se referir à atitude daqueles que supervalorizam suas próprias habilidades, atributos e conhecimentos e, conseqüentemente, desenvolvem um conceito de eu tão exagerado que se acredita ser superior aos outros, e geralmente se vangloria e se vangloria diante dos outros. Daí um pessoa vaidosa ser considerado vaidoso e até arrogante.

Por outro lado, o vaidade também se refere à perecibilidade das coisas terrenas, à brevidade do trânsito existente e, nesse sentido, às coisas inúteis ou vãs que podem ser as coisas deste mundo. Também, vaidade pode se referir a uma ilusão ou fantasia, como representação ou ficção.

Por sua parte, pela Cristianismo, o vaidade é um dos sete pecados capitais e, dentre eles, o pior, porque implica uma confiança excessiva nas coisas terrenas e em si mesma, o que o leva a perder a noção da finitude de sua existência e a acreditar que Você pode fazer sem Deus. Nesse sentido, o antecedente fundamental da pecado da vaidade é constituído pelo comportamento que ele observou diante de Deus Lúcifer, que, sendo o mais belo e o mais sábio dos anjos, pecou por orgulho assumindo igual a Deus e foi condenado ao inferno..

Outro antecedente mitológico é o de Narciso, um jovem recompensado com a beleza que acabou tão apaixonada por sua própria imagem refletida na água de um lago, que acabou se jogando em sua busca e morreu afogado.

Vaidade na Bíblia

No Bíblia, o fim vaidade aparece dezenas de vezes para se referir ao sentimento da passagem da existência, à loucura e à mentira, bem como à arrogância e arrogância e à idolatria exacerbada do indivíduo por si mesmo, o que, como conseqüência, o leva a renunciar Deus Nesse sentido, o vaidade É um dos maiores pecados. A palavra, como tal, aparece principalmente em Eclesiastes: "Vaidade das vaidades, tudo é vaidade" (I: 2), proclama O Pregador e divide reflexões sobre a transitoriedade da existência, bem como a condição mortal do ser humano, e sobre o vazio e o absurdo do trânsito terrestre sem amor a deus.