Significado de Tese, antítese e síntese

O que são tese, antítese e síntese:

Tese, antítese e síntese são as 3 elementos que constituem o processo da dialética, definido como uma técnica e método lógico para analisar ou descobrir a realidade. Também é conhecido como o tríade dialética.

Na filosofia, esses três elementos fazem parte do processo espiral em que a realidade é concebida, enquadrada no método lógico da dialética, neste caso, chamado Dialética hegeliana, que mais tarde servirá de base para os estudos de Karl Marx (1818-1883) e Friedrich Engels (1820-1895).

Na teoria filosófica idealista do alemão Georg Wilhelm Friedrich Hegel (1770-1831), a tese, a antítese e a síntese são as três fases de uma processo evolutivo do espírito humano que se repete na busca da verdade.

Nesse sentido, Hegel afirma que toda a realidade humana (pensamento, conhecimento, história, evolução, relações de poder, sistemas políticos) surge na primeira instância de uma tese, que causa uma contradição chamada antítese e, finalmente, surge uma síntese, conhecida como superação dessa contradição, gerando outra tese que perpetua o processo.

Dialética hegeliana

Georg Wilhelm Friedrich Hegel é definido pelo idealismo filosófico influenciado por Immanuel Kant (1724-1804). Em geral, isso significa que coloca o espírito na matéria, ou seja, é a consciência do sujeito que define o real; portanto, o sujeito tem um papel ativo em todo ato cognitivo..

Assim, a dialética hegeliana faz parte da filosofia do espírito que busca inevitavelmente o infinito, a verdade, que também contém o finito. Nesta busca pela dialética hegeliana, a contradição se torna o motor do sistema lógico composto por três fases: tese, antítese e síntese..

  • A primeira fase, tese, é a afirmação para o desenvolvimento do conhecimento e da ação (espírito subjetivo);
  • A próxima fase é a antítese, crítica ou contradição do exposto (espírito objetivo);
  • A terceira fase é a síntese gerada pela crítica da antítese. É o processo de superar a contradição (espírito absoluto).

Na dialética hegeliana, além do idealismo de Kant, elementos como historicidade e progresso são incluídos para a análise da realidade apresentada.

Tese

A tese é definida como a fase afirmativa do processo dialético ou também considerada como o estado original. Podemos dar como exemplo de tese, a obediência dos filhos aos pais, a submissão dos trabalhadores ao empregador, a exploração do Estado a seus cidadãos, a imposição de moralidade religiosa aos fiéis, entre outros.

A tese é considerada verdadeira até que surja uma antítese que a contradiga. Na dialética hegeliana, a tese é promovida pelo espírito subjetivo, motivado pelo desenvolvimento do conhecimento e da ação, geralmente pela consciência, autoconsciência e razão..

Antítese

Quando a tese ou estado original enfrenta sua negação, somos confrontados com a fase da antítese. Seguindo a lógica dos exemplos anteriores, a antítese deles seria: a rebelião dos filhos diante dos pais, a exigência de direitos por parte dos trabalhadores, o descontentamento popular contra o sistema de governo e o questionamento da moralidade imposta por a Igreja.

A antítese contradiz a tese, fazendo com que o estado original enfrente sua negação. Na dialética hegeliana, as negações são o mecanismo que mantém o processo em movimento.

A antítese é promovida pelo espírito objetivo, motivado pela realização do espírito no mundo. Isso se manifesta, geralmente, através da lei, moralidade e ética..

Síntese

Síntese é o processo de superar a contradição da antítese. Nesse sentido, corresponde à negação de uma negação, ou seja, à afirmação de uma nova tese..

A síntese resulta da harmonização entre a tese e a antítese feita pelo espírito absoluto, definido como aquele que atende à cultura de seu Estado, geralmente expresso através da arte, religião e filosofia.