OPEC

O que é a OPEP:

OPEC são os acrônimos de Organização dos Países Exportadores de Petróleo, uma organização intergovernamental composta por alguns dos maiores países produtores de petróleo do mundo.

Foi fundada no ano de 1960, na cidade de Bagdá, Iraque, e não foi reconhecida pela Organização das Nações Unidas (ONU) até 1962. Atualmente, sua sede está localizada na cidade de Viena, Áustria.

A criação da OPEP baseia-se na necessidade de um instrumento de controle que evita o desperdício econômico de um recurso limitado, como o petróleo. Essa iniciativa foi proposta por Juan Pablo Pérez Alfonzo, então Ministro de Minas e Hidrocarbonetos da Venezuela, e Abdullah al-Tariki, Ministro de Petróleo e Recursos Minerais da Arábia Saudita..

O Influência da OPEP no mercado mundial de petróleo Isso é considerável. Possui uma participação de aproximadamente 40% da produção mundial de petróleo e 80% das reservas totais do planeta. Além disso, o excesso de capacidade mundial de petróleo está concentrado entre os países membros, ou seja: a OPEP é o principal banco no mercado de petróleo bruto. Portanto, a agência pode controlar a produção de petróleo, ajustando ou distanciando a lacuna entre oferta e demanda.

Ele Objetivo da OPEP, nesse sentido, é coordenar e unificar as políticas dos países membros em relação à produção de petróleo, a fim de garantir preços justos e estáveis ​​e um suprimento eficiente, econômico e contínuo que atenda às necessidades dos países consumidores.

Atualmente, eles são países membros OPEP Iraque, Irã, Kuwait, Arábia Saudita, Catar e Emirados Árabes Unidos na Ásia; Líbia, Argélia, Nigéria e Angola na África e Equador e Venezuela na América. Ex-membros foram o Gabão, até 1994, e a Indonésia, até 2009.

É importante observar que nem todos os maiores produtores de petróleo do mundo são membros da OPEP. Assim, países como Sudão, México, Noruega ou Rússia, importantes produtores, são regularmente convidados como observadores para reuniões de grupo..

Os países consumidores costumam criticar a OPEP, chamando-a de cartel e alegando que distorce o mercado mundial de hidrocarbonetos.